sábado, 3 de junho de 2017

Para hoje, Edgar Morin

"...compreender não só aos outros como a si mesmo, a necessidade de se auto-examinar, de analisar a autojustificação, pois o mundo está cada vez mais devastado pela incompreensão, que é o câncer do relacionamento entre seres humanos."

sexta-feira, 26 de maio de 2017

GUARDADOR DE EXISTÊNCIAS

Amigos leitores,

é com alegria que compartilho a publicação do meu novo e-book no www.amazon.com.br. Será uma honra contar com sua leitura.

domingo, 7 de maio de 2017

Parabéns, Elisabeth Pinto

Mais um dia
A vida se alegra e se celebra
Com o dom de fazer amigos
E fazê-los acolhidos
Carisma percebido por todos que têm a felicidade de conhecê-la
No dez de maio, mais uma flor nasceu no jardim do mundo!

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Contra a tacocracia

 Relembra-nos Edgar Morin que o todo é menos do que a soma das partes, já que as qualidades das mesmas ficam inibidas pela organização do conjunto. No entanto, cabe também a consideração, segundo ele, da importância  do exame do todo. Conclusão: nada fica de fora; tudo há que ser considerado; sem precipitação, sem rapidez.

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Deserto

Voltou.
Era outro...sabia.
Teve receio da adaptação.
Uma cama...um lar.
Não mais o chão, a poeira, as valas.
A África lhe ensinara muito.
Ligou o ar condicionado e a TV.

Depois de dois dias, retornou.
Queria trabalhar com os refugiados
Era mais feliz.

sábado, 15 de abril de 2017

Pe. Antonio Vieira e a vida

"Todos imos embarcados na mesma nau, que é a vida, e todos navegamos com o mesmo vento, que é o tempo."


Neste tempo que inexiste estamos e somos, juntos. Que a contemporaneidade e a vanglória da tecnologia não nos deixe esquecer: JUNTOS.

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Espelho, espelho meu!

"O que ocorre, de fato, é que, quando me olho no espelho, em meus olhos olham olhos alheios; quando me olho no espelho não vejo o mundo com meus próprios olhos desde o meu interior; vejo a mim mesmo com os olhos do mundo - estou possuído pelo outro". Mikhail Bakhtin


Tema recorrente em Jorge Luis Borges: o espelho. Sabia que era uma leitura de mundo carregada de opiniões, tristezas, alegrias, medos, desejos, e, por isso, chamava os leitores à constante avaliação e re-avaliação.